Igreja La Merced Guardiã da história.

A igreja melhor conservada do Casco Antiguo da cidade de Panamá, é La Merced, pedra a pedra foi transportada da fachada ao seu lugar atual, até o ano de 1680, mas suspensos os trabalhos, por um tempo, para ceder os materiais e a construção da muralha da nova cidade, e que podem se resguardar de um novo ataque pirata. Neste templo está o único museu eclesiástico da cidade.

La Merced é um monumento nacional, desde 1956, ela mantém em suas paredes as lembranças da cidade morta, seus muros contemplaram o 28 de dezembro de 1530 , os futuros conquistadores do Peru e o histórico sermão da circunstância dos lábios do padre Juan de Vargas, sobre a conquista do grande império de Atahualpa.

Conserva a sua fachada original de pedra de estilo barroco. Sua localização é a Avenida Central, muito próxima do que foi a Porta de Terra,de acesso principal a cidade, a fachada e a praça da Merced davam literalmente as boas vindas ao recinto murado.Segue o esquema usual de Panamá Viejo, com três naves muito altas, e um telhado apoiado por longos pilares de madeira, tem um cofre mudéjar, que data da época colonial.Há duas torres, ambas finalizadas com cúpulas.

A praça da frente é ladeada por duas pequenas capelas, uma destinada a veneração da virgem de La Merced, na capela permanece uma pintura, que é algum dos quadros mais antigos do país, um retrato de origem europeia, que estampa a Virgem La Merced, que data do ano 1600 e foi transferido do convento de Panamá.Viejo depois do saque em 1671 e que foi resgatado por um devoto.O outro é o atual mausoléu da família Pérez Arosemena.

O interior do templo foi remodelado e o retábulo do Altar Maior tevê que se renovar , depois de um incêndio ocorrido em 1963.Destaca uma imagem da Virgem de la Merced, dada por CarlosV, trazida da Espanha em 1722.Atualmente foram feitos trabalhos de renovação nas colunas originais, que são de madeira de níspero.Esta igreja é guardiã de uma relíquia de San Pancracio, parte de um osso do tornozelo da Santa, assim como também de uma imagem da Virgem da Caridade do Cobre, padroeira de Cuba.

Na sacristia da igreja se encontra um museu com coleções de imagens, pintura colonial, ourivesaria, prataria e documentos históricos religiosos de Panamá de importância: a Ata de Consagração da Catedral Metropolitana de Nova Panamá, que data de 1796, assim como também figuram atas de nascimento, batismos, matrimônios e morte de personalidades da época, entre as destacadas, se encontra a ata de batismo do general Tomás Trará, a ata de matrimônio e de morte do Primeiro Presidente da República Manuel Amador Guerrero e ata de matrimônio do poeta Ricardo Miró; igualmente se podem encontrar objetos pertencentes ao clero, entre os que se destacam o Báculo de prata, que pertenceu ao religioso mercedário frei José Higinio Durán e Martel, assinante da ata de independência de Espanha em 1821, como representante da igreja.

Uma réplica da Constituição da República de Panamá de 1904 repousa no museu de La Merced, além de uma interessante crônica escrita pelo empresário panamenho Camilo Quelquejeu Araúz, sobre os acontecimentos da batalha da ponte da Calidônia, entre 19 e 26 de julho de 1900.

O museu da igreja está aberto de segunda a domingo, das 9:00 da manhã as 16:00 horas, nos sábados e domingos atendem com hora marcada, os podem contatar no telefone (+507) 262-2911 e pelo email:  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .