Heróis da Pátria de Panamá

 

José Agustín Arango 

Nasceu don José Agustín Arango na cidade de Panamá a 24 de fevereiro do ano de 1841, de pai cubano e mãe nativa do Istmo.Morreu a 10 de maio de 1909, sendo Secretário de Relações Exteriores desta hoje República de Panamá, filho de seu espírito e de seus esforços.

Em José Agustín Arango se manteve o fervor revolucionário, mas conseguiu limar as arestas da intolerância partidária e se fez presente o bom senso de fazer as coisas sem recorrer à violência, que foram características , que distinguiram os líderes dessa época tumultuada.Para conseguí-lo, dispunha do recurso da palavra, que convence, mas que não irrita, nem violenta.Jamais participou em uma atividade política significativa, antes dos fatos da separação da Colômbia.

Tomás Arias

Nasceu no Panamá a 29 de dezembro de 1856.Filho de Don Ramón Arias Faraudo e Dona Manuela Ávila.Negociante de profissão.Realizou seus estudos no Panamá, Jamaica e Estados Unidos,Tomás Arias, foi uma das figuras ativas no movimento de emancipação de 1903.Sua eloquência e características de grande orador, lhe valeram a sua designação como diplomata em nome do Istmo de Panamá.

Durante a sua carreira política chegou a ocupar diversos cargos: Administrador da Fazenda, Deputado da Assembleia Departamental (1882), Representante diante do Congresso da Colômbia, Senador na Câmara Alta (1888-1892), Secretário de Governo (1893-1900), Ministro de Relações Exteriores, Presidente da Assembleia Nacional (1906), Ministro de Panamá no México e Cônsul de Panamá, Presidente da República de Panamá (1903-1904). Da mesma forma que José Agustín Arango defendeu o Tratado Hay- Bunau Varilla, o qual representava para ele, a única garantia da construção do Canal Inter-oceânico. Tomás Arias morreu na cidade de Panamá, a 20 de julho de 1932, na idade de 76 anos.

Federico Boyd

Quarto Presidente da República de Panamá. Nasceu no Panamá a 24 de setembro de 1851 e morreu a 25 de maio de 1924 aos 73 anos de idade. Seus pais foram Don Archibaldo B. Boyd e Dona María López de Boyd. Dedicou-se aos Negócios, onde fez uma fortuna. Entrou no mundo político de seu governo e é conhecido como um advogado patriota que lutava por sua pátria, apesar das consequências, que isto implicara.

No ano de 1888 foi eleito Membro do Conselho Municipal da Cidade de Panamá. Foi apoiado por grandes personagens da época como Pedro J. Sosa, Constantino Arosemena e outros distintos, para a construção de muitas e benéficas obras públicas da cidade como: A Praça de Santa Ana, La Zahúrda, El Matadero, etc.

Porfirio Meléndez

Foi Oficial do Governo dessa cidade; chefe da Polícia de Panamá; Prefeito de Colón, e Chefe Civil e Militar. Foi também deputado da Assembleia Nacional. Chefe em Colón do movimento separatista de 1903. Homem chave nos acontecimentos de 5 de novembro desse ano, que selaram a sessão do Istmo. Pai da heroína Aminta Meléndez.