Victoriano Lorenzo “O guerrilheiro cholo”

Líder popular, que dirigiu desde outubro de 1900, as guerrilhas contra o Governo Conservador. Depois da derrota dos liberais, na ponte da Caledônia, estabeleceu seu quartel em La Negrita (Coclé) e desde ali,aventurou-se na tomada dos distintos povoados do interior, e combateu o governo na linha da Estrada de Ferro.

Nascido na província de Coclé em 1867 e falecido na cidade de Panamá em 1903.Líder carismático do movimento indígena, que se levantou contra o poder central da Colômbia, quando o jovem território panamenho não era ainda soberano, Victoriano Lorenzo defendeu desde muito jovem os direitos dos desfavorecidos.

Diante das injustiças e iniquidades cometidas por chefes locais contra a população indígena (a formada pelos populares “cholos”, os quais a chefia colonial, apoiada pelo conservadorismo do poder central colombiano, dispensava o mesmo tratamento, que as bestas de carga). Victoriano Lorenzo desatou e encabeçou a rebelião dos índios e tomou parte ativa na guerra Guerra dos Mil Dias, um conflito armado, criado inicialmente como uma disputa entre liberais e conservadores, que resultou na separação do Panamá da Colômbia.

A frente dos chamados “alpinistas” ou “guerrilheiros das montanhas”, Victoriano Lorenzo participou do concurso, atraído pelas promessas de terra e liberdade, que constituíam , um dos slogans do partido liberal. A influência, que exercia entre os cholos desde suas primeiras reivindicações de justiça e igualdade, lhe converteram , em um dos líderes mais perigosos, pois atraia, cada vez mais, para as suas fileiras, o resto dos menos favorecidos.

Em Novembro de 1902, os conservadores e os liberais, assinaram um pacto nas costas de Victoriano, que significaria o começo de seu fim Apesar de suas intenções de fuga, Lorenzo foi capturado pelo exército e condenado a morte. Em 15 de Maio de 1903 , ele foi executado na Praça de Chiriquí, atual Praça França.

Em 1966, a Assembléia Nacional de Panamá declarou injusta a sua execução e o declarou herói nacional.