Cafés especiais animam o turismo

O agroturismo é uma das atividades que tem levado as fazendas de plantações de café da província de Chiriquí a destacarem-se entre as mais visitadas no distrito de Boquete. Estas se localizam entre 1,600 até 1,700 metros sobre o nível do mar, favorecendo a produção dos denominados cafés especiais ou gourmet.

As variedades que se produzem são: caturra, catuaí, pacamara e geisha, entre outras.

Moíses Montesuma, Chefe de Controle de Qualidade da Fazenda Leira explicou que atualmente contam com o único hotel butique de montanha, onde os hóspedes têm a oportunidade de conhecer de perto o processo de semeadura, colheita e passear pelas plantações de café.

A Fazenda Lérida, conta com 50 hectares de plantações de café divididos em sete lotes, onde se cultivam as variedades antes mencionadas, e as quais receberam distinções durante o passado The Best of Panamá, organizado pela Associação de Cafés Especiais de Panamá (SCAP por suas siglas em inglês), um leilão de cafés gourmet, aonde o preço de um quintal de café processado no mel chegou a US $1.275; enquanto que ao natural foi de US $1, 395. 

Entre os principais compradores dos cafés panamenhos estão: Japão, Coreia, Taiwan, Noruéga e Estados Unidos, entre outros. O preço de venda no leilão depende da variedade e o processo de secagem

De sua parte, Alicia Jimenéz, diretora geral de Serviço ao Comércio Exterior do Ministério de Comércio e Indústrias de Panamá sustentou que a qualidade, aroma e sabor dos cafés cultivados em terras de altitude, são negociados a bons preços internacionalmente, além de promoverem novos nichos de mercado, como o agroturismo, para que os turistas conheçam de perto os processos de produção.

Fonte: www.laestrella.com.pa