Grito de Independência de Villa de los Santos.

 

Data: 10 de Novembro, 1821

O grito de independência se dá primeiro na província de Los Santos, porque na cidade de Panamá, ainda havia muita adesão da coroa, especialmente porque se pensavam que eles iam conceder certos privilégios mercantis, depois de que nos nomearam a “Leal e muito nobre Cidade de Panamá”. Mas ao ver que as promessas de melhores sinecuras não se materializaram, a cidade se uniu ao movimento independentista.

O Grito de Rufina

Rufina Alfaro, mulher jovem e bonita, que conquistou a simpatia dos soldados espanhóis, que se encontravam no quartel da localidade de La Villa de Los Santos. O chefe deste quartel considerava Rufina uma confidente e lhe permitia a entrada ao recinto para conversar.

Aproveitando a intimidade da jovem com os soldados, Don Segundo de Villarreal, orientador da opinião pública dos cidadãos de La Villa, convocou Rufina Alfaro, junto a um grupo de voluntários para uma reunião nos arredores do povoado. Don segundo pediu um favor para Rufina, que espiasse o quartel dos soldados espanhóis. Rufina conhecia o profundo ressentimento popular, que existia contra a coroa, o que a convenceu de que devia atuar rapidamente para apoiar o movimento de independência, ela aproveitava os encontros com os soldados espanhóis para filtrar informação, com o fim de realizar a façanha, sem derramamento de sangue.

Seguindo as instruções de don segundo, Rufina entra no quartel dos soldados espanhóis, percebendo, que os soldados estavam descuidados, alguns conversando e outros jogando, e que não tinham as suas armas preparadas, pelo que decidiu sair, dando sinais aos conspiradores, para que eles tomassem a cidade e rodeassem o quartel, sem resistência dos soldados, a tomada do quartel, se fez com pedra e paus, até que as armas ficaram em mãos do povo e ao amanhecer do dia 10 de novembro de 1821, Rufina encabeçava uma marcha, na qual gritava “viva a liberdade”. Este sucesso é conhecido como o Grito de independência de La Villa de Los Santos, e iniciará um processo de revoltas em várias cidades do istmo, finalizando com a declaração da independência de Panamá, no dia 28 de novembro de 1821.

A principal atividade que se realizará neste distrito é o desfile cívico, que iniciará na Rua Simón Bolívar, e será regido pelas normas dadas pelo Ministério de Educação, especialmente as delegações de colégios e suas bandas, que desfilaram.