Começa a feira de Ocú.

A versão LIII da Feira Agropecuária e Industrial de San Sebastián de Ocú inaugurou hoje, e os produtores terão a oportunidade de vender seus produtos nela.

Espera-se que cerca de 25 mil pessoas a visitem, e para os moradores desta região, é o momento de auge econômico que os nativos de Ocú devem aproveitar, explicou Luis Guerra, presidente da feira.

“Esta é a única atividade de feira em Herrera, e deve ser querida e impulsionada por todas as autoridades da província, assim como o comércio da região”, argumentou. Durante os quatro dias da feira, depois de muitos anos, haverá salto em pára-quedas, nas sextas e sábados, para diversão de crianças e adultos, apresentação dos autênticos maninhos de Ocú, jogos mecânicos, discotecas, danças populares e apresentação de artistas nacionais. Além disso, julgamento de gado e corridas de touros.

José Valdivieso, produtor de inhame do distrito de San José, no distrito de Ocú, tem esperado ansioso, a chegada da feira San Sebastián, porque disse que é a oportunidade para poder vender parte de seus produtos.

Ele produz cerca de dois hectares de inhame diamante, e durante a feira, vende parte deste tubérculo para as senhoras, que colocam em pousadas e restaurantes e que demandam o produto durante estes quatro dias. Além disso, as mulheres artesãs da comunidade, já estão instaladas em seus “estandes” para a exibição e comercialização dos artesanatos, que elas fabricam com suas próprias mãos. Mabel Espinoza assinalou que tem trabalhado por seis meses na elaboração a mão de vestidos estilizados, como: trajes, blusas, camisas, vestidos de crianças e o mais importante, o montuno e a pollera (saia) de Ocú.

A feira apresenta como uma das atrações mais relevantes, um palco especial para a apresentação das danças, com os maninhos de Ocú, uma das tradições mais antigas do país, que se guarda com muito afinco nesta região. É por isso, que esta tradição folclórica é muito apreciada por moradores e visitantes.