A grande festa do centenário do Canal de Panamá

O centenário do Canal de Panamá se converte em um dos momentos mais transcedentais da História do país centro americano e do mundo global. A celebração do aniversário fixada para 15 de agosto de 2014, o dia histórico que o navio SS Ancón cruzou o Canal pela primeira vez, terá lugar cem anos depois da construção desta extraordinária obra de engenharia, que tem se convertido em uma das principais rotas de navegação do mundo.

Este país, que une o oceano Pacífico e o mar Caribe combina tradição e modernidade e oferece atividades das mais variadas, que o convertem em um destino ideal durante todo o ano, que vão desde visitas culturais, nas quais descobre a antiga cultura de seus povos e pessoas, até a prática de caminhada em suas montanhas ou relaxamento nas praias de areias quase virgens.Este ano, Panamá oferece além de uma atração adicional: unir-se a celebração dos cem anos do Canal, participando nas atividades programadas para os próximos meses.

Centenário do Canal de Panamá, evento a evento.

Panamá deseja compartilhar os cem anos da via interoceânica e festeja o aniversário de interesse mundial. A celebração do aniversário culmina em 14 de agosto com a Gala do Centenário, um grande espetáculo artístico de música e teatro retransmitido diretamente pela televisão, que representa a épica da construção do Canal, a luta entre gerações para recuperá-lo e a ampliação do mesmo.A cena contará com a participação de colaboradores do Canal, como parte do elenco artístico.

No mesmo mês, terá lugar a estréia do filme Histórias do Canal (Manglar Productions)no Teatro Nacional da cidade, que inclui 5 curta-metragens de 20 minutos de duração cada uma.As diferentes histórias mostram relatos de ficção situados em cinco momentos significativos da história de Panamá e do Canal.

Além disso, até o mês de julho, a exposição itinerante Experiência Centenário do Canal, que percorre 9 províncias do país, pode ser visitada. A mostra interativa utiliza recursos audiovisuais (mapas, 3D, telas táteis, fotografias, etc ) jogos interativos, peças de coleção e atividades educativas e grupais.

Paralelamente, nos últimos meses, tem tido lugar diversos atos culturais e esportivos como a competição de caiaques Oceano a Oceano, consistente em uma travessia de três dias, pelo Canal de Panamá, desde o Atlântico até o Pacífico, e a publicação de três livros comemorativos: O canal de Panamá, uma edição de luxo do escritor Luis Blas Ariti, Transferência do Canal de Panamá, por Jorge Eduardo Ritter, e 100 anos, 100 marcos, de Manuel Orestes Nieto, com fotografias e textos, que marcam os principais acontecimentos da história do Canal de Panamá em seus cem anos.

O Canal de Panamá e o Lendário chapéu símbolo do destino.

A construção do canal teve início em 1904. Durante os dez anos nos quais teve lugar a execução da colossal obra hidráulica, ,mais de 56.000 pessoas procedentes de mais de 30 países chegaram ao Panamá para participar no projeto.

Durante a construção, em novembro de 1906, o presidente de Estados Unidos, Theodore Roosevelt, visitou as obras.Foi então, quando foi imortalizado pelo diário New York Times em uma fotografia, na qual o presidente americano aparecia com um chapéu de palha , conhecido como chapéu Panamá e convertido desde então em um símbolo do destino.

A maior parte das escavações para a construção da via interoceânica se realizaram em Corte Culebra, na Cordilheira Central de Panamá.Estima-se que ao redor de 1.600 pessoas participaram neste projeto desde 1907, até finais de 1913.A terra escavada durante esta etapa equivale a requerida para construir as pirâmides do Egito.

Desde a sua inauguração, o Canal de Panamá tem registrado o trânsito de mais de um milhão de navios de todo o mundo, uma média anual, ao redor de 14.000 passagens. Com uma longitude de cerca de 80 quilômetros , na atualidade, serve a 144 rotas marítimas, que combinam 160 países e chega a mais de 1.700 portos de todo o mundo.O Canal de Panamá se encontra agora em plena expansão para duplicar sua capacidade e fortalecer a posição do país como centro marítimo e logístico.

Fonte: caribbeannewsdigital