O encontro de baleias no Panamá

Com canções melodiosas para impactar e saltos acrobáticos em meio do oceano, as baleias macho fazem o melhor desenvolvimento de suas agilidades para chamar a atenção da fêmea, a qual como parte de sua cerimônia de aparecimento, elege o macho, que mostre maior firmeza e elegância em suas galas acrobáticas.

Todo ano, entre os dias que dão início no mês de julho e meados de setembro, dezenas de visitantes, entre os que se encontram cientistas e ecologistas, se reúnem para desfrutar do deslumbrante espetáculo de observação de baleias no Panamá.

A Fundação Albatros Media começou os ”safaris fotográficos”, onde se convida o público para ver cetáceos durante um ou dois dias.Com ela se formam as boas práticas e serve de inspiração para que os visitantes se tornem agentes multiplicadores e responsáveis.

Os 2 mil 210 km² de superfície em águas territoriais, que rodeiam o “Coração do universo”, como se conhece o Panamá, proprocionam o ambiente perfeito para que grande variedade de espécies marinhas percorram distâncias inimagináveis para chegar ao istmo centro americano, em busca do calor de suas mares e refúgio costeiro durante a maior parte do ano, a fim de reproduzir-se.

As temperaturas tropicais do Caribe e Pacífico Panamenho formam um cenário ideal para que as baleias jorobadas ou yubartas empreendam uma viagem, a partir do Hemisfério Sul, até Costa Rica, atravessando o Pacífico Oriental tropical.Quando estas passam, elas chegam no Hemisfério Norte, vindas do Alasca , percorrendo as costas da América do Norte e México, até chegar ao Panamá

O golfo de Chiriquí ou as praias da província de Herrera e Los Santos são algumas das zonas onde se podem encontrar baleias durante toda a temporada, graças as diferentes correntes marinhas, que se produzem nestas zonas.As ilhas Contadora, Saboga, Coiba, a baía de Panamá e o majestoso arquipélago de Las Perlas, a tão só algumas horas da cidade, são o espaço culminante do mais vistoso espetáculo marinho, que oferece a mãe natureza.

O especialista e diretor geral da Fundação Albatros Media, Alejandro Balaguer, afirma: “Panamá poderá converter-se no melhor lugar do mundo para as observações de baleias, que podem se realizar a tão só uma hora da cidade, o que enriquecerá os recursos marinhos naturais do país, se se consegue promover mais, tanto a nível nacional como internacional”.A observação de baleias é uma atividade, que mobiliza mais de 15 milhões de turistas e gera mais de um bilhão de dólares anuais, produto da atividade e dos serviços acessórios gerados.

Panamá possui uma regulamentação desde o ano de 2004, graças a um árduo trabalho, que realizou a Fundação Albatros Media de posicioná-lo no Governo do ex- presidente Martín Torrijos (2004-2009), onde se promoveu a criação de santuários para baleias e outras espécies marinhas.

“O santuário é conhecido como “o corredor de mamíferos aquáticos”, situado, tanto no mar Caribe, como no oceano Pacífico”, segundo expressou Balaguer.

Alejandro Balaguer reflete:”Sim, como espécie humana somos capazes de salvaguardar o ser mais grandioso, que já existiu nos oceanos em todos os tempos, o que vamos poder conservar, então?

Normas que respeitar

Aos turistas se recomenda seguir algumas normas:

-Aproximar-se a uma distância máxima de 200 metros de uma baleia com sua cria. 

-Desligar o motor do barco se há uma aproximação espontânea da espécie até a embarcação.

-Não perseguir estes mamíferos,nem nadar ou mergulhar com eles. 

Fonte: caribbeannewsdigital.com